Projeto El Quijote Nos Une

Publicado em 15/12/20

Na disciplina de Espanhol, os alunos do 8.o ano produziram trabalhos para o projeto El Quijote Nos Une. Trata-se de um projeto educativo e cultural que ressalta a importância da obra ficcional de Miguel de Cervantes, “Dom Quixote”, que envolve os colégios de Alcalá de Henares (Espanha), Azul (Argentina) e o Brasil, que passou a fazer parte do Festival com a participação do Band no projeto.

Este ano, as professoras de Espanhol Marília Pelissari e Valeria Moraes propuseram que os alunos encontrassem pessoas que servissem de inspiração e que pudessem ser associadas ao adjetivo “quixote”, conceito inventado que caracteriza pessoas que lutam por algum ideal ou uma causa e, consequentemente, por um mundo melhor.


Todos os trabalhos dos alunos foram expostos em
padlets, já que, por conta da pandemia, toda a elaboração e exposição foi feita de forma virtual. Os trabalhos foram os mais variados: desenhos, poemas, histórias em quadrinhos, vídeos, maquetes e animações. É possível acessar esses padlets clicando na sala desejada: 8A, 8B, 8C, 8D, 8E, 8F, 8G.

As alunas Sofia Koppel e Maria Luigia optaram por fazer um poema sobre a influencer Alexandra Gurgel. A carioca tem sido uma figura cada vez mais reconhecida nas redes sociais por seus conteúdos acerca de body positive, padrões sociais, gordofobia, entre outros, de modo que as alunas a viram como uma representante do adjetivo “quixote”.

“A Alexandre é fundadora de um movimento que se chama corpo livre e ela defende a ideia de que nós temos de nos amar e aceitar nossos corpos como são. É uma luta contra a gordofobia, uma luta pela autoestima e pela liberdade de todos, para que possamos nos fortalecer e não nos odiar”, afirma Marília Pelissari. 

“As alunas fizeram um poema e eu entrei em contato com a Alexandra, enviando uma mensagem por Instagram. Ela demorou para ver, já que tem cerca de 1 milhão de seguidores, mas, quando viu a mensagem, respondeu com um vídeo agradecendo a linda homenagem.”, comenta a professora. Confira o vídeo, na íntegra

Para Sofia Koppel, o projeto foi muito gratificante: “Eu adorei o tema deste ano e os meus colegas produziram trabalhos muito interessantes. Além disso, não é em toda escola que você consegue participar de um projeto internacional e por isso sou muito grata ao Band por abrir esta porta para mim. Sobre o meu trabalho especificamente, tive a ideia de falar sobre a Alexandra pois ela se encaixa perfeitamente em todos os aspectos necessários, falando sobre um assunto essencial, porém não tão conhecido, e ajudando milhares de pessoas a se aceitarem.”.

 Sobre sua escolha, ela explica: “A forma que eu e a Maria Luigia encontramos de fazer isso foi através de um poema. O processo de escrita não foi fácil pois não estamos muito acostumadas a lidar com este gênero textual, principalmente em uma língua estrangeira, mas foi muito divertido. Quando entregamos o trabalho, tanto eu quanto a Maria Luigia estávamos muito contentes com o resultado e, pouco tempo depois, recebemos a informação de que nosso poema havia sido selecionado para ser exposto no evento. Ficamos muito felizes com esta oportunidade!”

A notícia de que Alexandra havia respondido a homenagem foi muito surpreendente para a aluna. “Recebi um e-mail da professora Marília contando que ela havia enviado o poema para a Alexandra e que ela havia respondido com um vídeo. Ver que nosso poema chegou até quem nos inspirou foi algo muito especial e que eu nunca esperaria que acontecesse. A Alexandra postou sobre o nosso poema em seu Instagram, que é seguido por 1 milhão de pessoas. Esta é uma enorme conquista que nós realmente não esperávamos quando escrevemos este poema. Só temos a agradecer a este projeto que nos trouxe consequências tão positivas, especiais e inesperadas!”, finaliza.

Temas relacionados: ,
Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!