Estere(óptico)

Publicado em 28/10/13

Aqui vai ao médico uma pergunta:

Quero saber a cura de uma doença;

Não sei se o nome dela é indiferença

Nem se é um problema de nascença

 

Me diga quais os sintomas?

Será aparição de ateromas?

 

Essa pessoa tudo errado vê;

Julga outras sem mesmo conhecer,

Fixa padrões pré-determinados,

sem refletir se estão certos ou errados

Mas não sou eu o doente

É outro que sofre duramente

Mas o pior;

Este parece que nem sente

 

Minha cara, já sei o nome dessa enfermidade,

Ela causou mortes e muita atrocidade

Atacou pessoa de qualquer idade;

E geralmente estas seguiam uma autoridade

 

Vejo quão mal isso é para a sociedade!

Muitas pessoas passaram por tanta maldade;

Mas vim aqui uma coisa perguntar:

 Dessa doença a cura você vai me dar?

 

Não entendo sua vinda ao oftalmologista?

Disso não sou especialista…

 

Nazista, chauvinista, fascista…

Pensei que fosse tudo problema na vista

 

Sinto mal lhe informar;

a cura não poderei lhe dar

 

Então onde conseguirei encontrar?

E quando souber, muitas pessoas poderei remediar?

 

(depois de um longo tempo pensar,

Para a janela o medico começou a apontar)

 

Saia do prédio e contorne o balão;

Mas cuidado para não ir na contramão

Esse problema não está na visão

Está em um órgão chamado coração

Vá para o cardiologista

E se este não te der da cura a pista;

Se dirija então ao alienista!

 

Certamente não conhecerão a cura,

Não se desespere;

Não suba a temperatura!

Não saberão da cura a solução,

Mas a você darão uma grande missão

 

Pensará que o futuro não poderá mudar;

E por isso essa missão sempre desejará adiar,

 

Penso ser impossível resolver problema;

 

Então feche os olhos e disso escreva um poema

 

Tatiana Choi, 3B1

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!