Desenhando pelo Mundo: projeto Mira Arte

Publicado em 19/05/21

Na disciplina de SPACE (São Paulo Abordagem Crítica do Espaço) do 9.o ano, os alunos terão a oportunidade de viajar pelo mundo virtualmente a partir do projeto “Desenhando pelo Mundo”, desenvolvido pela instituição Mira Arte. O objetivo é fornecer recursos para que os alunos possam se situar no mundo, entrar em contato com realidades diferentes e refletir sobre a relação com as várias esferas do espaço. 

Praça Benedito Calixto

Serão feitas 8 viagens para diferentes destinos, guiadas por uma equipe especial composta de um(a) correspondente e um(a) educador(a) de arte, proporcionando um novo olhar sobre a cidade e diferentes propostas de registros. A “bagagem” é composta por pincéis, lápis, tintas, um caderno e outros materiais. Durante essas visitas, que duram de uma hora e meia a duas horas, o correspondente local também escolhe músicas que remetem ao país visitado.

escadão Cardeal Arcoverde

Antes de realizar as viagens virtuais, eles são divididos em grupos e recebem passaportes. Cada grupo tem um destino diferente, de modo que os alunos de um não sabem qual país foi visitado pelo outro. “A ideia é que os alunos tenham a experiência do desenho de observação, utilizando-se de diferentes recursos artísticos como música, pintura e fotografia”, explica Mariane Cavalheiro, professora de SPACE.

Intervenção artística em Nova Iorque

Outro ponto que aprimora a experiência é o storytelling. “Por e-mail, eu envio o passaporte deles com uma passagem para a viagem. Assim, todos recebem quais materiais vão usar e descobrem a cidade que estão indo através do olhar do correspondente, de forma afetiva.”, conta Mariane. Ela comenta, ainda, que se trata de uma proposta muito inovadora e única, trabalhando a construção do olhar dos alunos sobre a cidade.

Parque em Tokyo

O primeiro encontro foi um tour por São Paulo. “Depois, eles vão fazer um comparativo estudando todas as cidades conforme a questão do SPACE, avaliando aspectos como o plano das cidades, latitude, longitude, entre outros fatores. Nessa primeira viagem, tiveram como proposta um desenho de aquarela, um de lápis grafite e também os relatos sonoros, utilizando-se de três linguagens distintas. A ideia é que cada viagem carregue um tipo de ação artística, com materiais variados ou expressões e linguagens.”, explica a professora. 

fotografia com técnica lightpaint feita a partir da viagem

O coordenador de Artes, Filosofia e Sociologia, Régis Lima, comenta a respeito do projeto: “É uma alternativa ótima não só para o atual momento de pandemia, em que muitas atividades têm que ser adaptadas ao ambiente virtual, mas também para depois. Trata-se de uma experiência poética pela qual os alunos passam, na qual buscamos trabalhar os olhares para a cidade e as diferentes maneiras de ser e existir no ambiente urbano. O aluno começa explorando sua própria cidade e viaja por todo o mundo, conhecendo realidades muito diferentes das que ele vive a partir de pontos de vista de outras pessoas. A abordagem crítica do espaço está totalmente atrelada a esse projeto que está se desenvolvendo de forma sensacional.”.

Temas relacionados:
Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!