Eu fiz Band – Luiza Idalino

Publicado em 30/10/20

De 2004 a 2006, Luiza Idalino estudou no Band. Da 1.a até a 3.a série, ela fez parte da turma de Biológicas e também do grupo de Inglês avançado, sua matéria preferida à época.

Sobre o período que estudou no Colégio, Luiza conta uma experiência que considera ter mudado sua visão de mundo: “Em uma aula de matemática no início do ano, a turma estava muito dispersa, mas a atitude do professor ao chamar nossa atenção fez toda a diferença. Eu admirei muito a postura dele e me dediquei a mudar sua percepção, focando muito em sua aula. Eu ia todas as semanas tirar dúvidas da matéria e organizava muito minha apostila. Depois de algumas semanas, ele me disse que gostaria de mostrar minha apostila como exemplo para toda a sala e aquilo me motivou a me tornar uma pessoa muito organizada.”.

Inicialmente, sua ideia era prestar Medicina. “No ano seguinte ao que me formei no Band, eu me mudei para os Estados Unidos, onde estudei na University of Illinois, em Chicago”. Nesse período, Luiza realizou um estágio de 2 anos em um laboratório de biologia, em que publicou o paper “VE-cadherin signaling induces EB3 phosphorylation to suppress microtubule growth and assemble adherens junctions”, que pode ser acessado aqui.

Durante a faculdade, Luiza começou a assistir a algumas aulas de Psicologia,  interessou-se pela área e optou por segui-la. Durante a graduação, ela realizou 2 anos de voluntariado em um hospital chamado St Marys Medical Center, em Hobart, Indiana, e atuou como intérprete em vários hospitais. Ela também fez outro trabalho voluntário de 2 anos em uma organização chamada Cornerstone, ajudando estudantes internacionais a se adaptarem aos EUA. “Como nos Estados Unidos é preciso fazer um mestrado para atuar como psicóloga ou médica, eu optei por seguir outro caminho que me permitisse já começar a trabalhar assim que me graduasse. Meus pais sempre empreenderam e minha mãe mudou totalmente de carreira aos 40 anos, fatores esses que me estimularam a seguir a área de Business”, conta.

Seu primeiro trabalho na área de negócios foi em uma empresa global de pesquisa de mercado, onde atuou por um ano. Depois, Luiza ingressou em uma consultoria pequena, cujo foco maior era procurement (compras). “Lá eu aprendi bastante sobre sourcing (compras) e decidi aplicar para a consultoria McKinsey, bem maior e mais conhecida, onde acabei passando e trabalho até hoje, há quase 3 anos”, explica.

Sobre seu cargo atual, Luiza conta que atua na área de Product Development and Procurement (Gestão de Compras e Suprimento): “É uma empresa fenomenal, eu adoro trabalhar lá. Eu gostaria que os jovens tivessem maior conhecimento das oportunidades dentro de business, como a parte de consultoria, porque é algo que, se eu soubesse antes, eu teria focado desde o início”.

A consultora conta que seu trabalho é focado em digital procurement, mais especificamente em spend transparency, spend and cost analytics, and value-capture management (para saber detalhes, acesse o site da McKinsey clicando aqui). “Nós ajudamos grandes empresas a ter transparência nos gastos, análise dos gastos e capturar oportunidades de redução de custos. Graças a minha empresa, eu tive a oportunidade de viajar a trabalho para a Índia, Malásia, Alemanha, Itália e para muitos lugares dos EUA. Além disso, tenho colegas de todo o mundo, é uma diversidade muito enriquecedora”, comenta Luiza.

Sobre a influência do Band em sua carreira, Luiza finaliza: “O Band me ensinou a ter perseverança e foco nos estudos. Os professores davam aos alunos toda a liberdade para tomarmos as nossas próprias decisões, o que fez com que eu me tornasse uma pessoa mais independente e organizada. Eu tenho muito orgulho de ter estudado lá”.

Temas relacionados:
Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!