Professoras participam de Simpósio de Gêneros Textuais

Publicado em 20/09/13

As professoras da disciplina de Língua Portuguesa Cátia Luciana Pereira e Yeda Lenza compareceram este mês, pela primeira vez, ao 7.o Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais, em Fortaleza (CE). O evento tem como objetivo discutir a relação entre os gêneros textuais nas diferentes esferas da atividade humana, desde a própria educação à comunicação por meios digitais.

Professoras Cátia e Yeda

Professoras Cátia e Yeda

A principal proposta do Simpósio é a de que todas as perspectivas teóricas e metodológicas se encontrem em um só ambiente e possam, dessa forma, debater em conjunto a variedade dos gêneros textuais imersos nas múltiplas culturas humanas. “Muitos estudiosos, de doutores a graduandos, passando por professores e pesquisadores, se reúnem no Simpósio para trocar conhecimento e debater a respeito do seu tema central, além de aproveitarem a oportunidade para compartilhar experiências e práticas”, conta Cátia.

O evento, dado o grande número de participantes e temas a serem abordados, oferece aos presentes com uma diversidade muito grande e rica de atividades e palestras, desde os debates à mesas redondas com grandes pesquisadores da área e mini-cursos de capacitação e workshops. “Às vezes eram tantas opções que ficávamos em dúvida entre 3 ou 4 atividades que de queríamos participar ou a assistir, comenta Yeda. “Mas no final conseguimos estar presentes em boa parte daquilo que gostaríamos de entrar em contato e tivemos uma experiência riquíssima”, completa.

A professora Cátia chegou a apresentar parte de sua pesquisa de mestrado durante o evento, o que rendeu um grande despertar de interesse e curiosidade por parte dos presentes. “Na minha pesquisa falo sobre gêneros textuais digitais, o que é algo bastante presente no cotidiano do aluno aqui no Band.

Uma outra profissional, que havia se apresentado antes de mim, mas sobre o mesmo tema, contou que na escola em que trabalhava eles até possuíam um blog para produções do alunos, mas que estes muitas vezes se sentiam acanhados em abri-los para o público por acreditar que teriam como leitores somente seus professores”, explica Cátia. “No Band é completamente o oposto: o blog Palavrarte surgiu como uma oportunidade para os alunos interessados de expor suas produções textuais. É imprescindível, para o aprendizado, que o aluno se desprenda dessa noção de que os textos só são feitos para serem avaliados pelo professor e mais nada”, conclui.

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!