Eletiva contra fake news

Publicado em 29/06/22

A eletiva “Mídia e Liberdade de Pensamento” foi criada pelo professor Arthus, de Português e Convivência, e pela professora Karla, de Português, para, a partir da recorrente discussão sobre fake news, provocar a reflexão crítica a respeito do direito à liberdade de imprensa – que é o meio pelo qual os cidadãos podem se informar sobre o que acontece em sua comunidade e no mundo – bem como sobre as dinâmicas de compartilhamento de informação nos meios digitais. Como a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio já prevê o desenvolvimento de habilidades específicas para os estudantes adotarem atitude analítica e crítica diante dos textos jornalísticos e das informações que circulam na internet, o curso da eletiva tem por objetivo aprofundar esse trabalho em sala de aula.

A professora Karla conta que o curso aborda diversas teorias, como aquelas que definem o que é imprensa e fundamentam a liberdade dela. Além disso, a partir do filósofo Immanuel Kant, discute-se em que consiste a liberdade de pensamento e como se pode pô-la em prática efetivamente na era da troca imediata de informação. “A partir destas teorias fundantes, as aulas são organizadas em oficinas em que os alunos, em grupos, discutem casos. Selecionamos alguns casos vigentes na sociedade e propomos para eles discutirem e perceberem, a partir dessas teorias, em que medida o cidadão é impedido de pensar livremente por ser manipulado ou orientado por determinado viés ou determinada tendência ideológica.”.

Ao final do curso, que dura um trimestre, como um trabalho final e a partir das discussões feitas ao longo do período, os estudantes elaboraram um guia orientador do bom uso da internet. Eles fizeram um post carrossel, como uma publicação no Instagram, orientando as pessoas a não se deixarem enganar e a praticarem o livre pensamento efetivamente.

Confira abaixo os resultados dos trabalhos:

Trabalho 1

Trabalho 2

Trabalho 3

Temas relacionados:
Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!