Do Band a Harvard: Como Lucas chegou até aqui?

Publicado em 06/02/20

Querido leitor,

Eu sou o Lucas! O Band foi a minha casa de 2011 a 2015, do meu 8.o Ano À 3.a série do Ensino Médio. Desde 2017, sou aluno da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e, no momento, estou em Boston em um intercâmbio de pesquisa na Harvard Medical School. Quero te convidar a me acompanhar neste ano que promete ser incrível e a me conhecer um pouco pelos posts quinzenais que escreverei no blog! Hoje contarei um pouco do meu caminho até aqui.


Gordon Hall of Medicine, um dos prédios da Harvard Medical School.

“O sonho é o olho da vida” – Mia Couto

Tenho o privilégio de dizer que hoje vivo todos os meus sonhos dos tempos de Bandeirantes. Quando escolher uma profissão se tornou uma pergunta importante na minha vida, eu me via em um destes dois cenários: na Pinheiros, a prestigiosa Faculdade de Medicina da USP, ou em alguma universidade de excelência nos Estados Unidos. Essa dúvida me acompanhou pela 1.a série inteira e, no meio da minha 2.a série, decidi que eu queria ser médico e que, portanto, ficaria no Brasil. Tentei dar o meu melhor, e passei para a 2ª fase da FUVEST no  meu 3º Ano.

Infelizmente não consegui chegar onde eu queria e, em fevereiro de 2016, adentrei na pesada rotina dos cursinhos para medicina. A monotonia do dia a dia e as muitas horas de estudo me fizeram questionar novamente se eu realmente queria cursar medicina no Brasil. Olhava meus amigos que haviam sido aprovados em universidades americanas participando de projetos fantásticos e vivendo tantas coisas novas, enquanto eu me via estagnado. No final de abril, tive uma longa conversa com um grande amigo e decidi tentar o processo seletivo para estudar nos Estados Unidos, a “application”. Conversei com meus pais e disse que eu me arrependeria se eu não ao menos tentasse, e que se fosse necessário encararia mais um ano de cursinho para buscar uma vaga na Pinheiros. Eles me apoiaram, e imediatamente deixei os estudos em segundo plano e passei a me dedicar a application. 

Tive que conhecer todo o processo, o que envolveu aprender muita coisa: fazer as provas (o SAT, o ACT e o TOEFL), escrever textos em inglês e contar uma história sobre mim. Além disso voltei a me dedicar a atividades extracurriculares, desde trabalho voluntário até hobbies que ficaram em segundo plano devido ao vestibular. 2016 foi um ótimo ano por si só e em 2017 tive a certeza que tudo valeu a pena.

No dia 02 de fevereiro de 2017, fui chamado para fazer parte da 105ª Turma da Pinheiros, e no dia 30 de março, fui convidado a fazer parte da Dartmouth Class of 2021. Por questões financeiras e por já estar vivenciando a Faculdade de Medicina, optei por continuar no Brasil. Apesar disso, foi muito gratificante ser admitido por Dartmouth College e Northeastern University, além de ter ficado na lista de espera da University of Chicago e Georgetown University.

Peço desculpas pela história um pouco longa, mas gostaria de compartilhá-la com você para te mostrar como tudo começou com um sonho. Não sei onde eu estaria hoje se eu tivesse medo de sonhar grande demais, ou se o medo de falhar tivesse me imobilizado. Quero te encorajar a sonhar alto e a se reinventar para alcançar esse sonho. Quero que você tenha oportunidade de viver coisas que você nunca imaginou viver e que você olhe para trás e veja que tudo valeu a pena. Também quero que você saiba que não encarei essa jornada sozinho.

Sou muito grato a todos os meus amigos, professores e colegas do Band que me ensinaram tanto e me motivaram a ser quem eu quisesse ser. Eu com certeza não estaria onde estou sem a ajuda de todos vocês. Quero agradecer especialmente aos meus queridos amigos bandeirantinos Gabriel Saruhashi (atualmente em Yale University), Patrick Sewell (atualmente na University of Evansville) e Pedro Triantafyllidis (atualmente na University of Chicago), que me guiaram, me incentivaram e me ensinaram tanto em 2016. Também quero agradecer ao Professor Olavo (Coordenador do Departamento Internacional do Colégio Bandeirantes) pelo apoio e pelo trabalho extraordinário que ele e sua equipe têm feito. Além disso, quero agradecer a ex-aluna Carolina Martines, que, por mais que não nos conhecêssemos na época, foi uma grande incentivadora para eu sonhar em hoje estar na Harvard Medical School pela Pinheiros.

Nas próximas semanas prometo ser mais breve! Quero mostrar para vocês um pouco da experiência de estar na Harvard Medical School e mostrar outras universidades da região Nordeste dos EUA. Até logo!

Com carinho,

Lucas Yuji Umesaki Itto

Lucas Umesaki se formou no Colégio Bandeirantes em 2015, e desde 2017 é aluno da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Neste ano, terá o privilégio de vivenciar um dos principais centros de pesquisa do mundo em um programa de intercâmbio. Atualmente é Research Trainee no Brigham and Women’s Hospital, um dos hospitais filiados a Harvard Medical School.

Temas relacionados: ,
Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!