O primeiro Doc B de 2018 abriu as atividades com o pé direito: a exibição do documentário Nunca me sonharam e a presença de Guiomar Namo de Mello, diretora da Escola Brasileira de Professores.

IMG_6386

O documentário trazido foi sobre a vida de estudantes de escola pública que, pelas próprias condições sociais, não creem serem capazes de atingir seus sonhos. Além disso, o filme também trouxe uma reflexão acerca do papel de educadores nessa situação.

Após a exibição de “Nunca me sonharam”, a conversa com Guiomar levantou pontos importantes como a comparação da vida de estudantes de escolas públicas e particulares e também a formulação da reforma do ensino médio.

A aluna Mhira Mindlin, da 3.a série do Ensino Médio, destaca a importância de trazer diferentes ideias para dentro da escola. “A Guiomar estava disposta a conversar e responder dúvidas. Teve um debate aberto no qual várias pessoas expuseram suas opiniões. Isso cria um maior repertório especialmente para argumentar a favor ou contra assuntos relevantes para o cenário do Brasil”, contou ela.

Entre as novidades desse ano, uma das ideias do projeto é trazer apenas documentários e filmes baseados em fatos reais para que os debates sejam sempre atuais ou a partir da realidade.

“Os alunos tiveram muito interesse em aprender mais sobre política pública e se posicionar”, contou a Coordenadora de Língua Portuguesa, Susana Vaz.

A ideia do “Doc B”, projeto que começou no Colégio em 2017, é que os alunos assistam ao filme e discutam com um convidado os temas trazidos. Depois, é dada uma proposta de redação acerca do que foi falado no encontro. Assim, o aluno adquire, de um jeito divertido, cada vez mais repertório.