Sinfonia sem fim da química dos neurônios estimulados

Publicado em 09/10/13

 

Escrever o que vem na cabeça,

seja preto ou seja branco seja lindo ou seja feio

seja digito ou seja uma sentença seja arrastado ou seja cifrado musicado mentalizado?

Nunca separado só palavras de formas alinhadas moldadas para serem imaginadas de forma civilizada.

Mata o cão, mata a fome, mata a vontade, mata a realidade, mata a inocência de tua cabeça – vai aprende a viver. Aprende a sofrer. Dói amigo, dói de mais. Mas sempre com a possibilidade de querer mais. E mais e mais e mais. Toda a possibilidade provável e possível mexida num compasso gracioso. Esquerda, direita. Amor e ódio. Vida e morte. Acorda!

Sobre o que eu estava escrevendo mesmo ?

Vitor Batista (3H2)

 

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!

mais de Linguagens e códigos