Sem inspiração

Publicado em 04/09/13

Não sei o porquê, me deu vontade de escrever. Abro o word  e observo a tela em branco. Mas escrever o quê? Tamborilo meus dedos pelo teclado. Sem ideias. Me recordo de que, alguma vez, em algum lugar, eu li sobre falta de inspiração. A justificativa encontrada foi  “muitas ideias”. Reflito sobre a questão. Eu devia estar cheia de ideias no momento. Muitas ideias.

Agora, me ocupo em alterar a largura das margens. Aumento e diminuo. Aumento e diminuo. Pronto, cansei. Percebo que o ícone “colar” está colorido e me pergunto sobre o quê será colado se eu apertar. Aperto. Surge minha mensagem enviada no facebook para uma amiga, dias atrás. Emocionante. Regulo tamanho, estilo e cor das letras. Nenhuma das cores fica boa, então volto ao preto. Decido usar a Lucida Bright para escrever. É uma letra boa, dá para se ler e não parece que o escritor está tentando torturar o leitor, obrigando-o a ler uns garranchos que lembram a famosa caligrafia “de médico”. Lembro-me de uma vez que ouvi minha professora dizer que o tamanho ideal para as letras era 14 ou maior, pois ela não conseguia ler menor que isso. Mudo para 14 e o título para 16. Pronto, está preparado para um grande texto.

Nunca fui de ter muitas dificuldades em escrever. Quando estava no fundamental I, uma vez fiz uma redação de cinco páginas. Outra, já no oitavo ano, conversava com meu amigo. Conversa vai, conversa vem, ele me deu uma ideia para um texto e eu já fui escrevendo.

Subitamente, acordo de meus devaneios para assistir à nova atração da família : tv 3d. Assistimos a uma amostra grátis do 3d. Agora, estamos os quatro,  tentando descobrir como criar uma conta na coisa. Meu pai parece um pouco irritado com o”mouse” da tv, pois não parece muito prático ao seu ver. Quando chegou ao ponto de cadastrar cartão de crédito e sei-lá-mais-o-quê-que-é-coisa-de-adulto, eu desisto e volto à minha tela.

Preciso urgentemente de uma nova ocupação. Um celular toca. Vou olhar e percebo que meu pai finaliza o cadastro. É uma prova de superação. Vou assistir ao 3d, que fora conseguido após a longa demora. Tragédia. O sistema está pedindo novamente login e senha. Mais uma tentativa. Agora dá certo, mas o filme que queremos custa R$ 22,00 para ser alugado por 48 horas. Assistimos a um interessante documentário sobre a vida selvagem, obviamente, o que tinha de graça. Tenho que admitir, era impressionante.

Vou dormir sem meu texto. Acordo com minha irmã me chamando para ver o Sol nascer. Volto para a tela em branco e a olho. Ela me olha de volta. E agora, cá estou eu a escrever esse texto.

Júlia Aluotto (8B)

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!