Poema em linha curva

Publicado em 18/08/16

Nunca conheci quem me tivesse dado porrada.
Sempre somente elogios.
E eu, inúmeras vezes inútil,
Chato, irresponsável, vagabundo,
Ininrrespondivelmente burro,
Têm-me ídolo;
Têm-me exemplo.
Arre, estou farto de terem-me Deus!!!
Quantas vezes político;
Quantas vezes físico;
Quantas vezes porco;
Quantas vezes louco;
Fui porque escalado?
Não!
Não tenham-me exemplo!
Não me tenham ídolo!
Me tenham nojo!
Tenham-me repúdio!
Vejam-me parasita, sujo, vil:
No pior sentido da vileza. ”

Miguel Sarraf Ferreira Santucci, 3E2

Temas relacionados: , , , ,
Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!

mais de Linguagens e códigos