Manifesto da Escada Rolante

Publicado em 17/03/14

“- Somente não deves empregar a ironia, esse movimento ao canto da boca, cheio de mistérios, inventado por algum grego da decadência, contraído por Luciano, transmitido a Swift e Voltaire, feição própria dos cépticos e desabusados” – Machado de Assis, in “Teoria do Medalhão”

Sou um bom cidadão. Um cidadão direito, que, assim como muitos outros, usa do serviço de transporte público da cidade de São Paulo diariamente para ir ao trabalho. Mais especificamente, sou um cidadão que toda a manhã pega o metrô na linha azul pra descer em algum lugar da linha vermelha (lá pro centro da cidade) pra trabalhar em algum prédio de escritório fazendo alguma coisa num computador qualquer. Mas no meio desse processo longo e árduo, sou obrigado a lidar constantemente com um fato que muito me enraivece: aquela maldita plaquinha na escada rolante: “deixe a esquerda livre.”

Pra começar, gostaria de deixar bem claro que sou um cara da direita. Gosto muito de ficar aqui parado no meu cantinho, não sinto necessidade, como muitos parecem sentir, de ficar me mexendo pra lá e pra cá como uma barata tonta. Afinal, está tudo tão confortável assim, pra que deveria eu sair de onde estou? Estou ótimo, estou bem! Não consigo entender o porquê de essas pessoas ficarem circulando pra cima e pra baixo, fazendo todo esse esforço a toa enquanto elas podiam simplesmente parar e relaxar por uns segundos.

Ah, mas tem sempre aquele que diz “poxa, cara, mas você nunca sabe, às vezes o cara tá atrasado, precisa ir mais rápido, é mais necessitado e precisa passar na frente…” pois a esses eu digo: que acordassem mais cedo. É bem simples, quase trivial, se quer chegar cedo, acorde cedo. Se esforce, ganhe o direito, afinal é muito fácil subir na estação (ou na vida) quando o Estado te garante tantos privilégios, né? Um lado inteiro da escada rolante lá reservado pra esses vagabundos que dormem até mais tarde poderem passar na minha frente. Pra mim isso é uma tremenda besteira. Porque esses esquerdistas merecem um lado todo só pra eles? Se eles estão mais atrasados, pra mim, é culpa deles e só deles, claramente não existe nenhum outro fator que justifique tamanho absurdo.

Outra dúvida ainda mais cruel: por que esses malditos seres da esquerda teimam tanto em se mover? Vai mesmo fazer tanta diferença na vida deles uns segundos a mais? Uns degraus mais rápidos? Porque faz na minha. É insuportável, tenho que lidar com movimentações da esquerda o tempo todo, atrapalhando o trânsito nas escadas, zoneando completamente a vida de pessoas de bem que só estão lá para chegarem ao fim das escadas (ou de suas vidas) sem atrapalhar ninguém. Arruaceiros, é assim que os chamo, vândalos malditos. Será que não percebem que a escada rolante existe para manter a ordem no metrô? Cada um em seu lugar, seu degrau, quietinho. Será que não veem que, sem ela, o metrô viraria um caos? Total anarquia (ou seria anomia?). Ah, ao inferno com todos vocês, querem andar? Vão pra uma rampa!

Finalmente, gostaria de deixar aqui bem claro quem são as verdadeiras vítimas dessa situação, para que esses esquerdistinhas vagabundos, dorminhocos e atrasados parem de resmungar e aprendam a respeitar os outros. As verdadeiras vítimas somos nós, da direita, o simples cidadão que está apenas tentando ir para seu trabalho medíocre e tem que lidar com esbarrões e empurra-empurra na escada todo o dia por conta de alguns rebeldes sem causa. Nós, e só nós, da classe média, verdadeiramente sofremos.

Lucas Nakamura (3H2)

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!

mais de Linguagens e códigos