Aquela Paz

Publicado em 10/06/13

 

Com as pessoas a minha volta
a maioria tenho indiferença
muitos são até invisíveis
quando estou em sua presença.

 

Apesar de não ser algo novo
o sentimento é um desconforto
que me reconforta em seus afagos
abraços e carinhos de um calor inusitado.

 

Não escrevo por sede de gozo
nem, simplesmente, pelo gosto de conquista
e sim o que queima e corrói
que, na sua ausência, dói.

 

Por sua causa, estou em uma busca
daquela guerra, aquela paz.
Um sentimento que me destrói
depois me recria nesse espaço.

 

Sou feliz com esse seu jeito
seu riso, sorriso e abraço
com uma companhia que anima
a alma do poeta que a muito não sentia.

 

A dor que sinto no peito
equivale às borboletas de meu estÔmago
a única coisa mais confusa que minha cabeça
é o não saber o que fazer com minhas mãos.

 

Sou feliz com esse seu jeito
seu riso, sorriso e abraço
um sentimento que me destrói
depois me recria nesse espaço.

 

Por sua causa, estou em uma busca
Daquela guerra, aquela paz
com uma companhia que anima
a alma do poeta que a muito não sentia.

 

Arthur Degering, 2B4
Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!

mais de Linguagens e códigos