A vida não anda fácil

Publicado em 03/05/18

A vida não anda fácil

Anda tropeçando, claudicante

A vida caminha molhando os pés nas poças,

esbarrando nas pessoas à frente

vira e mexe para e afaga um cachorrinho que passa.

A vida anda num pé só, a vida dá pulinhos e por pouco não cai

A vida anda dando estrelas, rodopia, rodopia,

rodopia e para. Ficou tonta.

Pronto, passou. Vai voltar a andar.

Mas aí abaixa e pega uma moeda que viu no chão,

e a olha um minuto ou dois e volta a jogá-la no caminho.

 

A vida não anda fácil

e às vezes se mete no caminho dos outros.

Aí a vida anda empurrada,

xingada, chutada pelos cantos.

A vida anda um pouco asmática, não puxa o ar direito

a vida anda meio manca, as juntas ardendo,

e o ciático atacando.

A vida anda gritando, resmungando,

anda falando que cansou de andar.

A vida anda e já faz tempo que não vê uma poça,

um cachorrinho, uma moeda.

A vida anda e quase já não lembra  como dar uma estrela.

A vida anda e já não gira:

culpa da labirintite.

 

A vida não anda fácil, quase já não pula,

parece que os sapatos passaram a grudar no chão

(A vida anda e mal se lembra de quando começou a calçar sapatos).

A vida anda e já não atrapalha ninguém,

a vida anda e passou a empurrar os que ficam pelo caminho

(a esquerda é pra andar, porra!)

A vida anda mas agora anda pra chegar

não anda por andar

anda pra chegar e não chega

A vida não anda fácil

e anda, anda, anda

 

Mario Neto, ex-aluno 2015

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!

mais de Linguagens e códigos