Publicado em 16/10/13

As lembranças voam como um vento…

Parece que se passaram só dias desde o meu nascimento,

Mas agora já estou no terceiro ano,

Isso não tem cabimento!

Às vezes eu tento não lembrar,

mas as músicas me fazem recordar

 

Antes era só algo barulhento;

Uma música de momento

de pessoas com talento;

Não me fixava no seu entendimento;

se seu ritmo era rápido ou lento,

só queria divertimento!

 

Bons tempos…

Voltava para casa já sonolento,

comia meu passatempo

e no almoço um frango suculento;

tocava um instrumento e

entrava na Internet para às

minhas amigas deixar um depoimento

 

Mas agora quando retorno ao meu aposento,

Devo ler as memórias de um sargento,

Estudar sobre o superpovoamento, sobre o barlavento,

E analisar obras literárias de certo movimento

 

Ai que nostalgia, que saudade daquela tranquilidade…

 

Para mim a lembrança é como se fosse um pigmento cheio de vivacidade que vai se esparramando

Em um documento cinzento

que ficará guardado sempre no meu pensamento.

 

Lembrarei de cada momento,

De cada sofrimento, cada vitória,

Cada derrota, cada vento e cada sedimento

que este está levando para construir, no futuro,

Um grande monumento

 

Para terminar esse melancólico poema que invento,

Mais um verso eu acrescento:

Seguirei em frente,

Voltando-me ao meu grande intento

sempre olhando para Aquele no qual me oriento

 

Tatiana Ye Ni Choi, 3B1

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!

mais de Linguagens e códigos