Winter is here!

Publicado em 13/03/17

Oi! Tudo bem?

Na semana passada, conversamos sobre o alvoroço acerca da iminente chegada de uma super tempestade de neve. E tenho que te dizer que não foi só alvoroço: a tempestade, apelidada de Niko pelos meteorologistas, avassalou o Nordeste dos Estados Unidos naquela quinta-feira. Praticamente todo mundo foi dispensado da escola ou do trabalho, mais de 4 mil voos foram cancelados, estado de emergência foi declarado em Boston e na Filadélfia, e tristemente um homem até morreu em Nova York enquanto limpava a neve da calçada.

Apesar disso, para mim, a combinação de tempestade de neve com dispensa da faculdade só podia significar uma coisa: guerra de bolas de neve no parque principal da cidade, o Boston Common. Logo, contrariando as súplicas da minha mãe para que eu ficasse em casa (desculpa, mãe!), fui ao parque, arremessei bolas de neve, fiz anjinho, me joguei na neve e tudo o mais a que eu tinha direito. Afinal, a primeira tempestade de neve a gente não esquece!

IMG_8659

Você quer brincar na neve?

A cidade estava completamente parada e branca: parecia a cena de um filme. Foi divertidíssimo nas primeiras horas, mas depois o vento levou minhas luvas embora, o frio de -21 graus Celsius prevaleceu e optei por um cobertor e um chocolate quente.

IMG_8596Essa é a Boylston Street, uma das ruas mais movimentadas e importantes da cidade. No dia da tempestade, nenhum carro passava, e o único movimento era das poucas pessoas felizes e ligeiramente loucas que se divertiam com a neve que se acumulava.

No dia seguinte, as pilhas de neve trazidas por Niko contrastavam com um céu maravilhosamente azul, tornando impossível não pensar naquela velha história de “depois da tempestade, vem a bonança”. Poético, no mínimo. O fato é que a vida durante a tempestade é difícil, mas depois que ela passa, fica ainda pior. A locomoção torna-se muito complicada, as calçadas congeladas escorregam demais, e um trajeto que normalmente eu faria a pé em 10 minutos passa a levar o dobro. A neve demora dias para derreter, e aos poucos a brancura vai dando lugar a uma neve suja e cinza.

FullSizeRender (1)

O lindo dia depois da tempestade de neve

Agora, queria dividir com você algumas curiosidades sobre o inverno rigoroso de Boston que me surpreenderam bastante.

#1- Muitas vezes, fica tão tão frio que nem os celulares aguentam e desligam repentinamente por mais carregados que os aparelhos estejam, e não adianta tentar ligar depois. Isso ocorre principalmente aos celulares dos brasileiros – o que não tem absolutamente nenhum fundamento científico, mas pela quantidade de vezes que meu celular já fez isso, tenho certeza que ele é tão fã do verão quanto eu.

#2- Até quando neva em Boston? Aparentemente, ad aeternum. Já estamos no meio de março, e tem neve caindo lá fora nesse minuto. Em 2015, pasme: nevou até maio. Te conto quando parar de nevar, mas tem outra tempestade prevista para essa semana, então ainda deve demorar.

#3- Existem várias “modalidades” de neve. Além da neve clássica, que na minha concepção são os floquinhos de neve caindo e embranquecendo o chão, há o “sleet”: caem flocos de neve, mas estes derretem logo que alcançam o chão; também temos a “freezing rain”, que é o oposto do anterior: caem gotas d’água, tal como chuva, mas ao chegar ao solo, a água congela, o que pode ser muito perigoso. Tudo isso na linguagem daqui, talvez as professoras de Geografia possam verificar a acurácia dessas informações.

No final das contas, considero tudo isso um aprendizado e um privilégio muito grandes. Não posso dizer que amo o frio, mas eu não trocaria essa experiência por nada. Ademais, essa vivência me faz valorizar ainda mais nosso país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza.

Semana que vem, vamos conversar um pouco sobre o processo seletivo de Harvard e o que, afinal, eu estou fazendo aqui além de brincar na neve.

Tome um solzinho por mim e até semana que vem!

Carol Martines

“Quando neva, você tem duas opcões: limpar a neve com uma pá ou fazer anjos de neve.” (Autor desconhecido)

“Nothing burns like the cold.” (George R.R. Martin, A Game of Thrones)

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!

mais de Do Band a Harvard