Harvard Extension School

Publicado em 25/02/15

Para quem se interessa em saber como funciona a estrutura de um curso na Harvard, aqui vai um exemplo/depoimento de como tem funcionado para mim.

Como nosso programa de pesquisa nos permite entrar como alunas de Harvard, é possível que façamos cursos da Harvard Extension School.

Existem cursos dos mais diversos temas…desde psiquiatria, anatomia, fisiologia e biologia celular, até mesmo cursos considerados mais “alternativos” (em relação à medicina), como línguas estrangeiras, ou física (com eletromagnetismo, circuitos e óptica), negócios, etc. Os cursos são pagos, mas valem a pena. Afinal, são um investimento na formação acadêmica, no currículo, na experiência de vida e, afinal, não é sempre que estarei aqui e terei oportunidade para fazer mais um curso desses.

Eu escolhi fazer um curso de Imunologia, já que amo este tema desde que tive a matéria no 2o ano da faculdade. O curso, com duração de 1 semestre, consiste em aulas presenciais com “lectures” e “sections” (explicadas adiante) e duas provas escritas, uma no meio e outra ao final do curso. Há a opção de fazer o curso como Graduate Student ou como Non Graduate Student. A diferença (além do preço) é o nível de exigência: alunos “Graduate” são mais exigidos, dado que são considerados como alunos de medicina da Harvard Medical School. Escolhi fazer o Graduate mesmo, dado que quero me empenhar bastante e aproveitar a oportunidade.

Como funciona o curso: as aulas são divididas em “lectures” e “sections”:

Anfiteatro da Harvard Extension School onde são ministradas as "Lectures" (aulas teóricas) de Imunologia

Anfiteatro da Harvard Extension School onde são ministradas as “Lectures” (aulas teóricas) de Imunologia

As “lectures” são aulas teóricas com todos os alunos do curso em um anfiteatro grande da Harvard Extension School. Nestas “lectures” são ministrados os conteúdos básicos do curso de Imunologia, com duração de 2h (e um intervalinho de 10-15min). Para quem não pode (ou não quer) comparecer às lectures, não tem problema pois elas também são disponibilizadas online. É até bom esta disponibilidade online pois mesmo que você vá na aula mas não tenha conseguido entender algum ponto específico na hora, dá pra rever depois pela internet. Impressão subjetiva: eu achei as aulas bem “impessoais”… não sei se é porque estou acostumada a ir à faculdade no Brasil com todos os meus amigos e conhecer todo mundo… mas aqui os alunos não pertencem todas à uma mesma turma que assiste às aulas todos juntos como no Brasil…não é como se eu fosse “uma estranha no ninho”… parece que todos são “estranhos no ninho”. O máximo que você vê são grupos de 2 ou 3 pessoas que se conhecem… O resto dos alunos parece estar tão “avulso” quanto eu.

Sala de aula onde são ministradas as "Sections" (discussões de artigos científicos)

Sala de aula onde são ministradas as “Sections” (discussões de artigos científicos) dos Graduate Students

Já as “sections” são um pouco diferentes…são mais interativas e mais exigentes. Nelas, os alunos são divididos de acordo com o tipo de exigência escolhido do curso: Graduate ou Non Graduate (como explicado anteriormente). As atividades dos Graduate Students (que eu participo) consistem em discussões de artigos científicos atuais e práticos sobre o tema que foi desenvolvido na “lecture” do mesmo dia. Os papers são disponibilizados previamente na internet para que, na hora da “section”, todos já tenham lido e já tenham substrato para a discussão. Toda “section” há 3 ou 4 alunos que são responsáveis por preparar previamente uma apresentação em power point com cerca de 1h de duração, explicando todo o artigo para os outros alunos. Interrupções com dúvidas e comentários são frequentes e permitem uma melhor elaboração e desenvoltura do tema. Há, nestas “sections”, um “monitor” (que entende bem sobre o tema) especificamente preparado para guiar as discussões, acrescentar dados extra, tirar dúvidas e salientar os pontos mais importantes. Impressão subjetiva: apesar de ser um ambiente mais interativo que as “lectures”, ainda assim é um ambiente bem sério (eu diria até austero) e sem espaço para distrações ou mesmo descontrações. Não sei se é porque o curso ainda está no começo e o pessoal ainda não se conhece… Não estou reclamando, afinal, nada mais justo pois é um curso sério e um tema sério, com pessoas sérias. Mas sinto falta de um pouco do “tempero brasileiro” no comportamento das pessoas.

Em relação às provas, são cobrados conteúdos tanto das “lectures” quanto das “sections” e é acrescida à nota final a nota de apresentação do artigo científico na “section” pela qual você ficou responsável. É uma responsabilidade e tanto. Exige comprometimento e dedicação. Mas traz um enorme prazer fazer algo que você gosta, não é mesmo?

Alunos estudando e lendo os artigos enquanto esperam a "Section" começar

Alunos estudando e lendo os papers enquanto esperam a “Section” começar

Apesar de estarmos nos divertindo bastante em Boston, aqui não é só diversão e nem só trabalho duro. Tem muito estudo, muito trabalho, mas um tanto de diversão também. Basta saber administrar o tempo, ter disciplina, organização e força de vontade que dá pra encontrar um bom equilíbrio entre vida social e estudo. Como diz o orientador de um de meus amigos aqui: “Work HARD. Play HARDER” (“trabalhe duro; mas se divirta ainda mais”). Nada que todo aluno Bandeirantino não aprenda a fazer.

 

 

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!

mais de Do Band a Harvard

Casa

Publicado em 20/12/17

Despedidas

Publicado em 08/12/17

Cápsula do tempo

Publicado em 01/12/17