Do Band a Harvard: Relatórios, museus e montanhas

Publicado em 06/08/19

Sejam bem vindos de volta ao blog do Band a Harvard.

Essa semana os alunos do programa de Harvard tiveram que entregar o “Interim Report”. Basicamente é um relatório que temos que fazer no meio e final do ano. Nele devemos descrever tudo o que já fizemos e aprendemos até o momento. Apesar de parecer algo extremamente chato, foi a oportunidade perfeita para parar um momento e refletir sobre todos esses meses aqui em Boston.

Depois de descrever todos os projetos, palestras, seminários e reuniões percebi o quanto já aprendi e aproveitei todas as oportunidades que tive. Mas, esse momento também foi essencial para repensar as coisas que não deram tão certo e como me planejar melhor para os próximos meses.

Não foi somente na parte acadêmica que parei para refletir, mas em todas as mudanças que tive nesse período. Em especial, vou contar um pouco sobre dois dos meus novos hobbies.

Minha primeira descoberta esse ano foi logo no auge do inverno: Hiking! Eu sempre gostei muito de esportes e aventura, mas nunca tinha feito uma trilha difícil de verdade. Um amigo meu do Brasil que também está fazendo pesquisa aqui em Harvard já tinha feito trilha algumas vezes e me convidou. Fiquei extremamente animado, mas ao mesmo tempo receoso… não tinha nenhuma experiência com hiking e essa era uma trilha razoavelmente difícil em condições climáticas digamos que não muito amigáveis.

Topo do Monte Monadnock

Foi simplesmente uma experiência incrível! Alugamos um carro no sábado de manhã e fomos para o Monte Monadnock em New Hampshire, aproximadamente 2 horas de Boston. Apesar de muito frio, o sol ajudou muito e deixou tudo melhor. Foram 3 horas de caminhada e uma vista espetacular a cada curva.

Vista da montanha

Desse dia em diante decidi que gostaria de aprender mais sobre hiking e ter novos desafios. Foram várias montanhas durante esses meses até eu estar preparado para a maior e mais difícil delas: Monte Washington.

O Monte Washington é considerada a montanha mais alta do Nordeste dos Estados Unidos, com seus quase 2000 metros de altitude. Mas não é só a altura que impressiona, mas as condições climáticas extremamente adversas no topo da montanha. Para se ter uma ideia, em 1934 foi registrado o vento mais forte do mundo (recorde até 1996) de 372 km/h. Chegar no topo foi uma conquista pessoal!

STOP: The area ahead has the worst weather in america. Many have died there from exposure, even in the summer. Turn back now if the weather is bad

Outro atividade que comecei a realizar com mais frequência ultimamente foi visitar museus… em específico o Museum of Fine Arts.

Sempre visitava museus durante viagens ou exposições especiais, mas nunca foi algo do cotidiano. Nos últimos meses isso mudou. O Museum of Fine Arts fica localizado a 10 minutos da HSPH/HMS e tem uma parceria com Harvard para que os alunos tenham livre acesso ao museu o ano inteiro. Dessa forma, é possível visitar partes específicas do museus por algumas horinhas e voltar outro dia para terminar.

Entrada do Museum of Fine Arts

A melhor parte é que eles têm visitas guiadas com pessoas super animadas e dispostas a ensinar sobre arte. Nada como ir no museu na hora do almoço e aprender um pouco sobre arte de uma maneira descontraída e com as obras de arte mais importantes do mundo.

Um ano de intercâmbio é ótimo do ponto de vista acadêmico para abrir portas no futuro, mas tão importante também é a oportunidade de se conhecer melhor.

Até a próxima,

Leonardo Pipek

Os alunos formados no Band em 2014, Giovanna Pedreira e Leonardo Pipek, estão tendo uma oportunidade única! Em um programa de intercâmbio da Faculdade de Medicina da USP e da Harvard University, os dois passarão um ano estudando em Boston. Confira o Blog dos estudantes que será atualizado toda semana!

Temas relacionados: ,
Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!