Do Band a Harvard: Apresentação no congresso da American Heart Association

Publicado em 26/11/19

Olá de novo!

O intercâmbio chega a seus últimos capítulos, e se pude viver tanta novidade e página nova da vida ao longo do ano, essas últimas fases trazem alguns frutos acadêmicos igualmente valiosos. Ainda tenho algumas tarefas a cumprir no trabalho, mas no final de semana passado, tive uma enorme oportunidade: apresentar um trabalho no congresso anual da American Heart Association (AHA), uma das maiores entidades de cardiologia do mundo.

O congresso aconteceu na Filadélfia e durou três dias, fui com minhas duas colegas do laboratório, Fernanda e Sofia. Chegamos cedinho no primeiro dia de viagem e passamos pelo primeiro perrengue ali, porque não podíamos fazer o check-in e tivemos que nos trocar no banheiro do hotel, colocar uma roupinha mais arrumada para o primeiro dia de eventos. Engole café e vai!

Sala principal de eventos

Além das aulas e das palestras aguardadas por todos, os congressos são recheados também por brindes e comidinhas que atraem os congressistas para os stands de indústrias farmacêuticas e de dispositivos médicos. Essa coisa da indústria privada na ciência é uma polêmica…porque se por um lado impulsionam a ciência e financiam projetos milionários (por vezes revolucionários), têm o interesse do capital como confundidor. Será que os resultados são sempre o que a estatística diz?

Cachorros filhotes para os congressistas brincarem – uma indústria farmacêutica que estava patrocinando

Como era um congresso de cardio, as palestras eram obviamente sobre temas relacionados a essa especialidade. Em alguns eventos me senti um tanto perdida, talvez me falte um pedaço de conhecimento clínico e de medicina hands-on mesmo que ainda não tive por estar ainda no meio da graduação.

No segundo dia…o que fui lá fazer: apresentar meu trabalho! Em todo congresso, há apresentações orais, palestras de indústria e sessão de pôsteres. O pôster é uma forma de apresentar de modo resumido um pedaço de um trabalho, isto é, colocar em destaque um trecho relevante de algum projeto. Como certamente há de existir um imprevisto, nesse dia caloroso de 4oC, o aquecimento do chuveiro do meu quarto não funcionou. Sem tempo para reclamar, tomei um banho gelado mesmo.

Repeti a apresentação 84 vezes na minha cabeça e fui. A sensação de apresentar um trabalho seu em um congresso de tanta importância e alcance como o da AHA é indescritível e acho que só bate mesmo depois que acaba, você olha para trás e vê o tamanho da experiência que teve. Talvez seja assim com tudo, né? Talvez seja assim com o intercâmbio, com a escola, com a faculdade…

Apresentando o pôster

 

Fernanda, Eu e Sofia na frente de meu pôster

Enquanto estou aqui, mergulhada na vivência de Boston, de morar fora, de ter que destrinchar cada novo desafio de estar fora do meu país e de casa, o ano parece apenas…o ano. Chegando ao fim, fica aquela sensação de terminar um livro: você vira a última página, o fecha, observa seu tamanho, revive a história e fica naquele mix…feliz por tê-lo acabado, apegada por querer eternizá-lo.

Giovanna Pedreira

Os alunos formados no Band em 2014, Giovanna Pedreira e Leonardo Pipek, estão tendo uma oportunidade única! Em um programa de intercâmbio da Faculdade de Medicina da USP e da Harvard University, os dois passarão um ano estudando em Boston. Confira o Blog dos estudantes que será atualizado toda semana!

Temas relacionados: , ,
Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!