Jogando Basquete

Publicado em 02/05/10

Por: Inspetor França

basquete_vidaEm uma manhã de domingo, Luiz despede-se dos seus familiares dizendo: “– É, está na hora de pegar no basquete” (trabalho).

Em uma manhã de domingo, Marcelo despede-se de seus familiares dizendo: “– É, está na hora de pegar no basquete”.

Luiz sai de casa para enfrentar uma dura jornada de trabalho, pois a empresa em que ele trabalha funciona também aos domingos.

Marcelo sai de casa para encontrar os amigos, pois vão ao Clube jogar basquete.

Luiz, como um jogador de basquete, tem que ter disposição e preparo físico para executar este jogo que a vida nos impõe: trabalhar muito, com muita dedicação e disciplina, com horários pré-determinados, muitas regras a cumprir, busca constante de melhor desempenho, para no final (do mês) alcançar a sua vitória (salário) e mesmo assim administrar a crítica da torcida (chefe).

Marcelo (ele é político) apenas brinca com os amigos para afastar o tédio, pois há três dias que ele só participa de comemorações e festas e amanhã vai para a sua casa de praia.

No jogo do Marcelo, a vitória é certa, garantida, por isso ele nem se importa com fator “cestas”, corre apenas para perder peso (barriga).

No jogo do Luiz, nada (emprego) é garantido, por isso é fundamental a conquista de cestas (básica) para uma vida melhor para sua família.

Marcelo, Luiz, todos nós estamos em uma quadra jogando o jogo da vida.

A bola (mundo) gira indo e voltando e nós entre suor e encontrões vamos fazendo a nossa parte, sabendo que tudo está direcionado pelo grande juiz (Deus) para penalizar as nossas faltas.

Como em todos os jogos, no nosso buscamos a vitória, o reconhecimento e a gratificação, embora muitas vezes sentimos que muitos passam e nem percebem que ali (nosso trabalho) está havendo um “duro” e disputado jogo.

França é inspetor de aluno do Colégio Bandeirantes e no jogo da vida ele está sempre vencendo.

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!