Entrevista com a nossa monitora Victoria, jogadora da Seleção Brasileira de Flag

Publicado em 08/05/14

O assunto deste post é um esporte pouco conhecido por todos, o Flag. E para conhecermos melhor o esporte entrevistamos uma jogadora da Seleção Brasileira de Flag, a nossa monitora de Educação Física, Victória Guglielmo.

Perfil:

Victória Guglielmo de Souza

22 anos

Jogadora da Seleção Brasileira de Flag

Posição: quarterback

Email: contato.setejardas@gmail.com

selecao flag

Flag football, Futebol Americano e Rúgbi qual a principal diferença entre estas modalidades?

O Flag e o Football Americano são basicamente a mesma coisa, já o Rúgbi é totalmente diferente.

No Flag, em vez de derrubar o jogador com a bola ao chão, o defensor deve retirar uma fita (flag) que os jogadores usam presas à sua cintura e, assim, parar a jogada. Tanto no Flag quanto no Football Americano existem estratégias de jogo, avanço de território e jogadas combinadas. Porém, acredito que o Flag é mais divertido e dinâmico do que o Rúgbi, por possuir maior liberdade de jogadas.

Outra característica do Flag, é que nessa modalidade esportiva, não há contato físico, ele foi desenvolvido para minimizar lesões que o Futebol Americano tradicional poderia trazer, bem como baratear a prática do esporte, já que os equipamentos são caros.

Embora o Rúgbi também seja jogado em campo, é uma modalidade totalmente diferente, pois o passe só é válido se for para trás, a bola é diferente, as regras são diferentes. No Rúgbi, como no Flag, não há necessidade de equipamentos de proteção.

Quantas jogadoras compõe a equipe de Flag? E em qual posição você joga?

Em campeonatos oficiais é possível inscrever 12 jogadoras no máximo, sendo 5 jogadoras em campo de ataque ou de defesa. Se as cinco atacantes estão em campo, as outras cinco jogadoras da defesa estarão na reserva e vice versa.

Jogo há cinco anos e sou quarterback, ou seja, sou a jogadora responsável por montar, mostrar e executar a jogada combinada. Outra característica da quarterback é executar os passes e ser o “cérebro” do ataque.

561706_380531362019751_1887943745_n (2)

Como você foi selecionada para integrar a seleção feminina de Flag?

Recebi o convite para jogar pela seleção Brasileira devido aos bons resultados do meu antigo time o Palmeiras Locomotivas. Haja visto que, fomos campeãs no Campeonato Brasileiro de 2012 e no Campeonato Paulista de 2012, então os técnicos da seleção Brasileira selecionaram muitas meninas da minha equipe.

E em 2013 atuando pelo São Paulo Storm, com a conquista do Campeonato Brasileiro, fui convocada novamente.

Como foi a participação Brasileira na Copa do Mundo de Flag em Gotemburgo, Suécia, agosto de 2012?

O Brasil foi como esporte amador, sem patrocínio para os custos da viagem, apenas recebemos uniformes. Cada atleta arcou com seus gastos. Fomos por amor ao esporte.

E, em relação aos resultados nós disputamos 6 jogos, destes nós perdemos quatro, empatamos 1 e vencemos 1. Só de termos vencido 1 jogo,e empatado outro com seleções de jogadoras que jogam este esporte desde muito cedo, foi um grande avanço, uma grande aprendizagem. Pudemos ver como o esporte é jogado e evoluímos muito.

Onde será a próxima Copa do Mundo de Flag? O Brasil estará presente? Você foi convocada?

A próxima Copa do Mundo de Flag será em Israel, Jerusalém, no mês de agosto de 2014.

O Brasil irá e eu fui pré-selecionada, somente após os treinos que se iniciam em maio é que será divulgada a lista oficial das convocadas.

Você conhece locais para indicar para os que querem iniciar no Flag?

Aqui em Paulo eu não conheço escolinhas de flag, mas sei de locais que propiciam vivências e eventos específicos como o SESC.

Em janeiro e julho, o São Paulo Storm costuma realizar escolinhas de Futebol Americano e Flag

Eu, também, realizo clinicas e palestras sobre Flag Football e minha empresa se chama Sete Jardas – vivenciando o Flag Football.
www.facebook.com/7jardas

 

 

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto o Band é legal!

mais de Educação Física e Esporte